Encontro Varejo Material de Construção - VMC 2018

  4º Encontro Internacional do Varejo de Material de Construção discute inovação do setor



Palestrantes ressaltam a preocupação no atendimento ao cliente e dão dicas sobre  como ampliar a presença das marcas no digital

O digital não é mais uma etapa. Faz parte do comportamento do dia a dia. Esse foi o tema principal discutido na 4ª edição do Encontro VMC - Varejo de Material de Construção. Promovido pela Anamaco, o evento foi realizado no dia 11 de abril, no São Paulo Expo e reuniu varejistas, fornecedores, representantes, indústria e empresários do setor.

Com a realização da WE, em parceria com a Anamaco, e curadoria de Eugenio Foganholo, o encontro aconteceu durante a 24a edição da Feicon Batimat e proporcionou uma experiência internacional, com debates entre diferentes varejistas para entender como conseguiram atingir um crescimento em 2017 a partir das oportunidades e dos desafios enfrentados. O evento foi aberto pelo presidente do Conselho Deliberativo da Anamaco, Marcos Atchabahian, que agradeceu a presença de todos e falou sobre os índices de recuperação da economia brasileira.

O responsável comercial do Google, Edson Jr, foi quem abriu a sessão de palestras e afirmou que a inovação está presente no dia a dia da empresa multinacional de serviços online e software conhecida mundialmente. O principal objetivo do Google é saber como ajudar as pessoas e, para orientá-las a impulsionar o próprio negócio, foi criada a ferramenta ‘’Google meu negócio’’. Ao todo, o Google Search, Chrome, Maps, Google Play, YouTube, Android e Gmail somatizam um tráfego de 1 bilhão de usuários.

 

O que o Google sabe sobre material de construção?

Edson revela que, segundo o Google Trends, o setor de material de construção é um dos menos disputados no digital, proporcionando alta taxa de oportunidade, devido à grande quantidade de procura de informações comparadas a uma baixa taxa de respostas.

A principal lição que Edson deixou foi: estejam presentes. ‘’Após criarem o site, coloquem o seu negócio no endereço do Google Maps, inclua um catálogo de produtos no próprio site e foquem na rapidez dele. Pense em como facilitar o dia a dia do seu cliente. Isso fará total diferença’’, afirma.

 

Foco no cliente

Em seguida, foi a vez de Leila  Nakashima, Diretora de Produtos Digitais do LuizaLabs - núcleo de desenvolvimentos tecnológicos e digitais próprios, nacionais e de ponta, que têm auxiliado a rede Magazine Luiza a ser a empresa destaque em seu segmento, apresentar seu painel.

Ela explicou que alguns dos princípios que norteiam o LuizaLabs são: foco no cliente; cultura ágil; adaptabilidade; começar simples; decisão com base em fatos e dados - indicadores de sucesso, portanto não se baseiam em ‘’achismos’’.

Leila trouxe dois cases que geraram impactos relevantes tanto para a empresa quanto para as próprias lojas, como o aplicativo que todos os gerentes e vendedores das 860 lojas têm na palma da mão, reduzindo o tempo de compra do cliente de 40 para cinco minutos. O aplicativo faz parte de um ecossistema de aplicativos desenvolvidos pelo Luizalabs, envolvendo o mobile de vendas, estoquista, pagamentos, resultados, gestão de parceiros, serviços, pedidos, contagem de estoque, entre outros.

O segundo case apresentado por ela foi o MagaLocal, uma proposta do gerente promocionar a loja local no Facebook -principal mídia social, proporcionando autonomia de conteúdo e linguagem mais assertiva para o público.

 

Marketplace em foco

Com o tema ‘’Marketplace: Viabilizando a operação do varejo no e-commerce’’, foi a vez da diretora comercial da B2W Digital, Anna Sotero, dar sequência na manhã de palestras. Graduada em Engenharia de Produção, a empresária conta com uma experiência no varejo de 23 anos e está na diretoria da B2W há nove anos.

No ano passado, por meio do marketplace, foi gerado cerca de R$4,5 bi, conectando mais de 1 bilhão de “sellers” - os parceiros plugados na plataforma, segundo a palestrante.

Já para 2018, a meta é ainda mais ambiciosa: triplicar as vendas do departamento com foco nos varejistas e investir em tecnologia e logística para estruturar e transformar a realidade digital em resultados.‘’Estamos com foco eletrônico para gerar tráfego e clientes, aumentando ainda mais a pulverização das vendas e proporcionar a experiência de encontrar uma grande variedade de produtos sortidos. Não acredito que a loja física vá acabar. Acredito que ela irá se reinventar’’, afirma Sotero.

 

Foco na tarefa

Rainer Schmidt, Global Head de Marketing da AkzoNobel - companhia global líder no setor de tintas, foi o próximo a se apresentar. Sua marca mais conhecida no Brasil é a Tintas Coral. Além disso, a empresa se preocupa com a sustentabilidade, promovendo projetos que reforcem a preocupação com essa causa.

Rainer explicou a importância do foco na tarefa a ser executada, e não apenas no produto. Além disso explicou que a abordagem de categoria segmentada baseada em tarefas a serem executadas é uma boa estratégia para fornecer as soluções de acordo com as diferentes necessidades do consumidor.

Outras lições apresentadas por ele: inovação traz valor para a categoria através de produtos e serviços, e a sustentabilidade pode ser um elemento decisivo se for convertida em benefício e não tratada como uma imposição.

‘’Acreditamos que as pessoas não compram produtos e sim, soluções para ajudá-las a resolver determinadas situações. Produtos e serviços devem ser desenhados levando em consideração as tarefas que as pessoas executarão’’, declara Schmidt.

 

Conheça os “Atacajistas”

Após a pausa para o almoço, Patrick Cassidy, CEO da United Hardware - maior rede irlandesa de material de construção, com mais de 130 lojas, deu continuidade à rodada de palestras internacionais, e afirmou: ‘’No Brasil, precisamos e podemos trazer mais valor para a categoria.’’ Com o tema ‘’Juntos somos mais fortes’’, Cassidy discorreu como a Homevalue e a Arro deixaram de ser rivais para se tornarem parceiras.

O principal desafio era aprofundar as vendas para dois diferentes setores de atacadistas e varejistas. Resolveram então, torná-los um só, denominado de ‘’atacajistas’’.

A Bricoalliance é um dos maiores grupos independentes da atualidade, devido a uma série de fatores, entre eles, os principais objetivos: aumentar o fornecimento direto; relacionamento desenvolvido; e-commerce e T.I avançados, compartilhar dicas e conhecimentos, fortalecer o cadastro de fornecedores.

Há preocupação em padronização da marca, atingindo maior penetração no mercado, em manter a satisfação e lealdade dos funcionários, causando um sentimento de pertencimento à organização. Cassidy conta que as principais metas são aumentar o lucro dos membros e conseguir novos. E, ainda, se tornarem o principal grupo de hardware do mundo. ‘’Não existe ficar parado. Se você não está progredindo, está regredindo’’, finaliza o CEO da United Hardware.

 

Agregando valor ao cliente

Para encerrar as palestras do 4º Encontro VMC, Guillermo Elgueta, CEO da Construmart - terceira maior rede varejista de material de construção do Chile, afirma que é necessário lembrar que todas as ações são para gerar valor ao cliente e impactá-lo. Se não for para impactá-lo, não o faça, pois o maior foco deve ser depositado no entendimento do cliente. Isso é a chave da estratégia, segundo ele.

Não se trata de inovar para ganhar vendas, e sim para trazer mais informações. De acordo com ele, a grande mudança conquistada não foi a tecnologia. Foram as pessoas. Elgueta também explica o conceito DIFM- Do it for me, em português ‘’Faça por mim’’, é o cliente profissional e o DIT - é o cliente final, que precisa de orientação, suporte técnico e até mesmo de um especialista.

‘’Temos que conhecer o produto, senão não conseguirá administrá-lo bem’’, encerra o empresário. Com o tema ‘’O Futuro do Varejo é AGORA’’, em abril de 2019 já temos mais um Encontro marcado! Marque na agenda e garanta já a sua vaga através do e-mail encontrovmc@we.tur.br

 



Novos Parceiros

Pesquisas

Prêmio Anamaco

GRAA

Escola do Varejo Anamaco